Você é capaz de dar um feedback negativo?

Em uma entrevista de um cargo de liderança, um gestor me perguntou: “Fabricio, você tem uma funcionária (mulher) que cheira mal e está incomodando os outros colaboradores. Como você daria um feedback para ela?”

A verdade foi que por 2 segundos me perguntei o que estava fazendo na entrevista e em mais 2 segundos me lembrei de meu clube de escoteiros. Na adolescência participei de um clube que me proporcionou a oportunidade de liderar alguns adolescentes. Como eram 60 participantes, eu fui escolhido para ser conselheiro de uma unidade com 14 anos.

A minha primeira unidade foi com os integrantes mais “velhos” (eram adolescentes até 16 anos). Um dos membros de minha unidade era morador de rua, só que ninguém sabia disso.

Em meu primeiro acampamento iríamos fazer aquilo que acontece em todo acampamento. Minha unidade passaria 3 dias e 3 noites dormindo juntos em uma barraca um tanto quanto apertada.

Nos primeiros minutos da primeira noite, eu sofri o primeiro motim de meus liderados. Os garotos me esperavam do lado de fora (lembre-se que eu tinha 14 anos comandando um grupo que em sua maioria tinha 16 anos). Eles me apresentaram a petição de colocar o nosso colega e seu odor para dormir do lado de fora. Eu fiquei com medo e inseguro, mas entendi que a única forma de acabar com aquilo era argumentar que naquela noite nada seria feito.

Veja nesse post como ter as pessoas certas.

No dia seguinte tentei resolver o problema de outras formas, oferecer desodorante, sabonete, shampoo, perfume e fui jogando o famoso verde para ver se pegava. Até que eu desisti, chamei o diretor do clube e o constrangimento continuava.  Outro conselheiro nos falou um pouco sobre como era a vida daquele rapaz e em mim nasceu uma coisa que nunca deve sair do coração de quem pratica liderança com feedback: compaixão. Eu resolvi fazer a única coisa que realmente funciona para resolver um problema: conversar.

Chamei o rapaz e fiz algumas perguntas e resolvi ouví-lo. Eu cheguei a chorar algumas vezes e me comprometi a ajudá-lo se ele estivesse disposto a receber minha ajuda. Eu entendi que ele estava esperando que alguém o ajudasse a crescer e foi o que eu fiz durante aqueles dias e as semanas seguintes.

feedback negativo

A lembrança dessa história salvou a minha entrevista. Eu não pensei duas vezes e disse que daria o feedback deixando bem claro que seria uma conversa com a intensão de ajudá-la a ser uma profissional melhor. Eu reforçaria todas as qualidades profissionais dela e a levaria a uma reflexão do quanto aquele ponto poderia prejudicá-la.

Veja também nosso vídeo sobre feedback.

Outro ponto importante que todo gestor deve ter em mente é, como cada pessoa se sente motivada e reconhecida. Cada perfil se motiva de formas diferentes. Esse assunto daria outro post, mas estou comprometido em te entregar mais que um post. Quero convidar você para uma aula online e ao vivo totalmente gratuita. Basta clicar no banner abaixo e fazer a sua inscrição.

Te aguardo! Grande abraço e vamos juntos!

Aula de Empreendedorismo

Fabrício Scalioni

Mais de 22 anos de experiência com gestão de projetos e equipes. Atuação internacional em implantação de unidades de negócio no México e EUA. Master Coach e Master Trainer em uma das maiores instituições de coaching da américa latina. Practitioner SOAR Advanced. Anos de experiência desenvolvendo pessoas e apoiando empreendedores e executivos a atingirem resultados consistentes e relevantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.