O Que O Empreendedorismo Feminino Tem a Ver com Bird Box?

São vários papéis!!! Mãe de criança e/ou mãe de bicho, esposa, namorada, irmã, filha, diretora, dona-de-casa, amiga, cristã (ou qualquer outra denominação espiritual), administradora, blogueira, socialite, pintora, dançarina, atleta. Eu poderia citar muitos mais.

Às vezes fica uma confusão. Às vezes parece que faltam horas no dia. Tem dias que só dá vontade de dormir. A criatividade, o entusiasmo e a motivação vão para o ralo. Aí você respira e fala: “Amanhã é outro dia! Vamos lá!”

E realmente você acorda a todo vapor, faz tudo o que planejou. É uma nova pessoa, produz como nunca e diz para você mesma: “essa sou eu de verdade. Serei assim todos os dias daqui para frente!” Dorme, e no outro dia tudo vira um caos novamente. E lá vai você, dia após dia vivendo esse looping. Quando se dá conta passou um ano e você se vê na virada fazendo promessas: “Dois mil e tra lá lá será diferente”. Tudo outra vez!!! Passaram 2 anos…virada, promessa: “dois mil e tra lá lá vai ser diferente.”. Tudo de novo!!! Passaram 5 anos…e nada mudou. A eterna despedida dos hábitos improdutivos.

Dia após dia você vai vivendo a “mesma” rotina, com alguns pontos diferentes, mas que no meio de tanta coisa igual, talvez você já não os valorize mais. Ou até os valorize naquele momento, mas logo eles são esquecidos. E, de repente, você vê que sua vida passou e a única sensação que fica é: “Não fiz nada da minha vida.” Para algumas, essa sensação chega aos 60, 70, 80 anos. Para outras, já pode ser sentido aos 30, 40. Não importa a idade. Importa o sentimento.

A pergunta ecoando beeeem lá no fundo da mente: “O que eu fiz da minha vida? O que eu fiz da minha vida?” Dia após dia: “O que eu fiz da minha vida.
Se você chegou até aqui, pode estar sentindo duas coisas:

1. Cansaço só de pensar nessa mulher. Coitada dela!
2. Desespero, porque essa é exatamente a descrição da sua vida.

Mas, afinal, por que isso acontece? Eu te digo um porque bem forte. FALTA DE VISÃO DE FUTURO.

Um belo dia eu acordo e falo: “Vou empreender! Cansei de trabalhar nesse lugar. Achei meu propósito de vida!”. Afinal, empreender está na moda, não está? De repente percebo que só estou trabalhando e preciso fazer algo para me distrair. Coloco mais uma tarefa a ser ticada. Nossa, agora eu preciso me exercitar. Mais uma tarefa para a lista. Uma, duas, três, dez, vinte tarefas, sem nem ao menos me perguntar: “POR QUE eu vou fazer isso?” Estou perdida no meio de tantos afazeres e papéis, e já nem sei mais o que eu quero para o futuro. Não consigo enxergar. É tudo obscuro.

CALMA, não é o fim. Afinal, se você está lendo esse texto é porque ainda está viva e isso, por si só, já é um motivo para ter esperança. Acredite, você não está sozinha. Essa é a realidade de muitas mulheres. Tem solução? Sim. É preciso olhar para bem dentro de si. Entender quem é você e quais são suas prioridades. O que realmente é importante? Aprender a dizer NÃO para os outros e SIM para você. Entender quais são os seus porquês! Muitas vezes nessa escuridão é preciso ajuda, alguém que te dê a mão e te ajude a tirar, pouco a pouco, a venda dos seus olhos.

Te convido a ir nessa jornada junto com as mais de 2.000 mulheres da Rede Mulheres Corajosas. Todas nós temos dias obscuros e precisamos de alguém para nos ajudar a enxergar a luz. É essa lâmpada que queremos acender junto com você em cada encontro. Vamos Juntas @mulherescorajosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.